Morro de São Paulo BLOG

A história do Morro de São Paulo / Parte I

A Vila de Morro de São Paulo histórico

A história do Morro de São Paulo pode ser comparada com a verdadeira história do Brasil. Como toda a costa brasileira, o Morro de São Paulo também foi habitado por índios, e aqui especificamente viviam os Aymorés.
No ano 1501, um ano depois do descobrimento do Brasil, com a chegada da esquadra de Pedro Álvares Cabral em Porto Seguro, Gaspar de Lemos chegou à Bahia de Todos os Santos e reconheceu grande parte dela, mas foi em 1531, que desembarcou aqui em Morro de São Paulo, Martin Afonso de Souza, com a missão de explorar a costa do novo continente, do novo mundo, onde batizou a ilha de Tinharé, iniciando a colonização pelos europeus. Nesta época Morro de São Paulo que é um dos povoados da ilha, ainda era habitado por índios Aymorés. Muitas batalhas com o índios Aymorés e Tupiniquins, fez com que as ilhas se povoassem rapidamente, tornando povoados em cada localidade das ilhas
Mais tarde, quando o Brasil foi dividido em três Capitanias Hereditárias, Figueiro Corrêa foi quem ficou responsável pela Capitania São Jorge de Ilhéus, a qual o Morro de São Paulo fazia parte.
Figueiro Corrêa preferiu ficar em Portugal, então quem realmente fundou a Vila do Morro de São Paulo, no extremo norte da ilha, foi o espanhol Francisco Romero, em 1535.
Ficaram estabelecidos aqui na Vila do Morro de São Paulo alguns cristãos encarregados de cultivar algodão e explorar o pau-brasil.
Nascia assim o primeiro povoado da Capitania de Ilhéus. Logo em seguida, surgiram os vilarejos de Boipeba e Cairu, hoje Cairú, município central responsável pelo arquipélago inteiro incluindo Morro de São Paulo.
No vilarejo de Cairu foi fundado um engenho e uma capela, onde mais tarde em 1654, foi transformado no Convento de Santo Antônio.
Morro de São Paulo foi cenário de batalhas com holandeses e franceses, por ser um lugar de acesso privilegiado, onde poderiam se resguardar da pirataria também. Entrada estratégica, pois esconde a falsa barra da Baía de Todos os Santos, protegendo Ilha de Itaparica.
Começando as obras de proteção da ilha, no ano de 1630, com suas muralhas exuberantes, a Fortaleza Tapirandú foi feita com óleo de baleia, argila, misturando cascalhos, assim como o Portaló, portal de entrada da ilha, cartão postal de Morro de São Paulo.

Portaló de Morro de São Paulo

As igrejas também foram feitas com a mesma técnica.  Forte de São Luis, Forte da Ponta, Forte de Nossa Sra da Conceição, as igrejas Nossa Sra da Luz em Morro de São Paulo e São Francisco Xavier do povoado do Galeão, foram construídas no alto dos morros dos povoados, protegendo a riqueza trazida e muita história. Um local com  muita fé, mas também com pensamentos retrógrados trazidos juntos aos seus escravos que trabalhavam em suas construções, fazendo monumentos grandiosos, imponentes, resistentes.

Forte Tapirandú Morro de São Paulo

Forte Tapirandú

Fortaleza do Morro de São Paulo

Forte Morro de São Paulo

O Farol de Morro de São Paulo, foi considerado o mais moderno da época, facilitando assim a entrada para a costa, ao canal de Tinharé.

Farol Morro de São Paulo

 

 

 

Foto Aérea do Forte de Morro de São Paulo