garapuá

Cinema em Garapuá

O belo e pacato povoado de Garapuá, próximo a Morro de São Paulo no arquipélago de Tinharé teve pela primeira vez uma edição do projeto Cine Garapuá. A iniciativa foi realizada entre os dias 06 e 12 de abril e contou com uma mostra do cinema brasileiro com ênfase na temática ambiental e na cinematografia baiana.

Foram exibidos curtas e longas-metragens com o total 17 filmes. As sessões foram divididas nas categorias: Curta Criança, Curto Curta Baiano, Cine Presente e Eco Cine. A tranquilidade das ruas do vilarejo de pescadores foi interrompida com o agito dos moradores para prestigiarem o evento.  Além da exibição dos filmes, o Cine Garapuá contou com oficinas de audiovisual, stop motion, grafite e bate-papo ecológico. Todas as atividades com entrada gratuita.

O Cine Garapuá faz parte da mesma organização do projeto Cine Capão, que está na 6ª edição e acontece em diferentes regiões do estado. A iniciativa é promovida Fundação Cultural do Estado da Bahia (FUNCEB), através da Secretaria de Cultura do Governo do Estado da Bahia (SecultBA).  Apoio da Prefeitura Municipal de Cairu, e da Associação de Moradores Amigos de Garapuá (Amaga).

Praia Garapuá

Praia Garapuá

O que fazer de dia em Morro de São Paulo

Os atrativos para quem viaja a Morro de São Paulo são vários. Vão bem além das belas praias. Se você estiver com viagem marcada para Morro de São Paulo saiba quais são as opções de lazer e diversão neste lindo cenário da Bahia. A ilha que está a cerca de 36 milhas náuticas da capital Salvador, tema atrações para todos os públicos.

Durante o dia, claro que a principal atração é as praias. Começando pela própria ordem numérica, a qual são denominadas as praias de Morro de São Paulo. Cada praia da ilha tem uma caraterística própria e atrativo. Se depois de conhecer as praias de Morro de São Paulo, você desejar ver outras belezas naturais, a dica é visitar os povoados vizinhos como Gamboa e Garapuá. E o que todos buscam em Morro de São Paulo são os passeios, que basicamente são três: Volta a Ilha, Ponta do Curral e Garapuá. Fazer, pelo menos um destes passeios em Morro de São Paulo, é uma dica obrigatória.

Depois do dia de praia e passeios, a dica de diversão em Morro de Sao Paulo é caminhar pelos pontos turísticos históricos, na Vila e imediações. Conheça a Fonte Grande (antigo reservatório de água reconhecido como exemplo de tecnologia na época), a igreja Nossa Senhora da Luz, o Casarão (uma das primeiras moradias da ilha e hoje pousada) e o Forte, onde o entardecer propicia um belo espetáculo da natureza. A noite, na praça da Vila do Morro de São Paulo, chamada de Praça Aureliano Lima, funciona uma feirinha de artesanato com ótima dicas para levar lembranças da ilha.

Estas são apenas algumas das principais dicas de Morro de São Paulo, mas existem outras, esperando por você!

Passeios Morro de São Paulo

Morro de São Paulo não tem somente belas praias para se divertir. Para quem viaja a ilha existem muito mais do que as paisagens deslumbrantes. Há passeios Morro de São Paulo para todos os públicos e estilos e se está planejando uma viagem a ilha mais famosa da Bahia, veja todas as dicas de passeios Morro de São Paulo e programe seu roteiro.

Dentre os passeios Morro de São Paulo, o mais procurado é o Volta a Ilha, que faz um “tour” pelo arquipélago visitando os pontos mais bonitos de Tinharé. Este passeio Volta a Ilha dura o dia todo e é indicado para quem busca um passeio mais longo e completo. O tour inicia saindo da Terceira Praia e ao todo são cinco paradas. As duas primeiras são nas piscinas naturais de Garapuá (Morro de São Paulo) e Moreré (Boipeba). Das piscinas, o tour segue para a Praia de Cueira, em Boipeba, onde tem o mais famoso restaurante, o do Seu Guido e onde se prova a mais deliciosa lagosta. Da Cueira, quem quiser pode ir caminhando pela mata até a próxima parada, a praia da Boca da Barra, onde existem vários restaurantes e os turistas geralmente almoçam e relaxam um pouco antes de prosseguir. Já por volta das 14h30 o tour segue para Cairu (sede administrativa do arquipélago) e onde permanece e acontece a visitação ao Convento de Santo Antônio. De Cairu segue para a última parada em Canavieira, onde existe um criatório natural de ostras.

Outro dos passeios Morro de São Paulo é o passeio para a Ponta do Curral e onde se conhece as paisagens do norte da ilha. É um pouco menor que o Volta a Ilha e sai também da Terceira Praia pela manhã e retorna para o cais às 15h30. O passeio inicia na praia deserta da Ponta do Curral, onde existem poucas casas que pertencem a uma fazenda particular. Desta, parte para uma coroa de areia, que fica no meio do mar em frente à Morro de São Paulo. A terceira parada é o paredão de argila, próxima a praia da Gamboa e por fim, para na Gamboa retornando a Morro de São Paulo.

Além destes mais tradicionais há outros passeios Morro de São Paulo que são para a praia de Garapuá, situada depois da Quinta Praia de Morro de São Paulo. Um passeio feito com carro 4×4 e que dura em média cinco horas. O tour fica na praia e é ideal para relaxar na praia de Garapuá, perfeita para descansar e curtir o visual. Ainda existe o passeio das Baleias Jubarte, realizado somente de julho a outubro e o City Tour Histórico, uma caminhada pelos principais pontos históricos de Morro de São Paulo.

 

PRAIA DE GARAPUÁ

Morro de São Paulo possui belíssimas praias, algumas de fácil acesso cujo único transporte são os próprios pés dos turistas. Estas praias, também as mais conhecidas e famosas da ilha, são as Primeira, Segunda, Terceira, Quarta e Quinta Praia. Mas Morro de São Paulo também conta com praias desertas e mais afastadas do burburinho da ilha, como a Praia de Garapuá, outra maravilha da Costa do Dendê.

Localizada após a Quinta Praia, Garapuá está separada das outras praias de Morro SP por um manguezal e para chegar a esta linda e preservada praia que também faz parte da ilha de Tinhare, existem três maneiras: por fretamento de lancha ou barco, através do passeio Volta Ilha que tem parada nas piscinas naturais de Garapuá ou ainda com os tratores que saem do Receptivo (atrás da Segunda Praia).

Garapuá é uma praia perfeita para quem busca sossego e paisagens deslumbrantes. Garapuá tem uma característica que nenhuma outra praia da ilha tem: possui mais areia do que coraias no fundo mar.O pequeno vilarejo de pescadores é tranquilo e seus habitantes vivem principalmente da pesca. O turismo não é muito desenvolvido, existem poucas pousadas e restaurantes, mas os existentes podem acomodar bem seus visitantes. Uma atração imperdível na Praia de Garapuá é sentar num dos restaurantes que ficam em frente a praia e degustar os deliciosos pratos a base de frutos do mar.

Saborear as delícias gastronômicas das barracas de praias de Garapuá e apreciar as belas paisagens da praia. Nada melhor para relaxar ! Se após visitar as praias de Morro de Sao Paulo, sobrar um tempinho, conheça Garapuá, situada em Morro de São Paulo Bahia Brasil

praia-garapua

Garapuá

MORRO DE SÃO PAULO, SEMPRE HÁ UM MOTIVO PARA RETORNAR

Desde seu redescobrimento, ainda nos anos 70, quando tudo se voltou ao turismo, viemos notando, no decorrer dos anos, as diferentes e inovadas formas de curtir Morro de São Paulo.

No início limitávamos somente as longas caminhadas pelo interior das Ilhas ou até mesmo nas Praias, algumas delas até hoje desertas, que era a única opção de explorar este lugar.

Com o tempo, os Barcos Saveiros, durante certas épocas do ano, deixavam a pesca em alto mar, para atender a os poucos turistas que aqui freqüentavam, fazendo Passeios entre Morro de São Paulo e o Povoado da Gamboa, visitando Argila, Ponta do Curral e Coroa de Areia.

As Escunas vieram depois, com passeios mais longos e maior tempo de navegação, onde se visitava as piscinas naturais de Garapuá e Moreré, depois entrando pelo Rio do Inferno, circundando a Ilha de Tinharé, passando em Canavieiras e a Cidade de Cairú, voltando a Morro de São Paulo, sómente no final da tarde ou à noite. Já, á alguns anos, esse passeio é feto de barcos Flex Boat, mais rápidos e confortáveis.

Mas, são nas Praias de Morro de São Paulo e Gamboa que os Passeios e Esportes Radicais são a cada ano mais oferecidos para os visitantes da Ilha, e com isso, mais opções para todos os gostos.

Na Primeira Praia, inicialmente o Surf, depois Banana Boat e Tiroleza, fazem as emoções do lugar.

Jet Sky e Caiaque ocupam a Terceira Praia e kit Surf o ideal é a Quarta Praia.

Cavalgadas, normalmente saem da Quarta Praia com destino a Garapuá e Ponta do Quadro, ou pelo interior da Ilha

A Gamboa já abriga as opções de Sky Náutico, Embarcação a Vela, e para quem gosta de Trilhas Radicais, desde meados de 2011, também oferece Passeios com Quadriciclos 4×4, que partem da Gamboa com destino ao Galeão.

Morro de São Paulo é um povoado moderno, tudo pode se fazer, mas quando se fala em Meio Ambiente, Fauna e flora, o melhor é não fazer nada ou melhor, nem tocar. Só assim poderemos dizer: Sempre há um motivo para retornar.

Aventura nas trilhas do Morro de São Paulo

Passeio e aventura nas paisagens de Morro

passeios_quadriciclo_morro_de_sao_paulo

Emoção com quadriciclo pelas trilhas

Passeios em Morro de São Paulo

A melhor maneira de conhecer Morro de São Paulo é a pé, andar e respirar a brisa do mar, sentir o vento soprar no ouvido e admirar as belas paisagens desta ilha. Mas há também uma forma bem divertida de conhecer Morro de São Paulo: através dos passeios que são oferecidos na ilha. Em Morro de São Paulo, a maioria dos turistas faz alguns destes passeios e vale à pena para conhecer mais sobre a ilha e seus encantos.

Passeio Volta a Ilha Tinharé

Passeio Volta a Ilha Tinharé

Dentre as opções de passeios disponíveis para quem visita Morro de São Paulo estão os passeios Volta a Ilha, Ponta do Curral e Gamboa e Praia de Garapuá. Os passeios duram em média de cinco até oito horas, dependendo do tour. Seja qual for o passeio escolhido, serão ótimos momentos de descontração e pura diversão por algumas das paisagens mais lindas do arquipélago. Conheça e decida qual passeio você fará quando estiver por aqui ou se achar melhor faça todos, com certeza não se arrependerá.

Passeio obrigatório para o turista, o tour Volta a Ilha de Tinharé é um dos passeios mais tradicionais e completos de Morro de São Paulo. O passeio inclui visita aos pontos mais belos do arquipélago, com paradas nas piscinas naturais de Garapuá (em Morro de São Paulo) e de Moreré (em Boipeba); na praia da Boca da Barra, também na ilha vizinha de Boipeba e ainda uma visita a sede administrativa do arquipélago, Cairú, onde está o Convento Histórico de Santo Antônio. O passeio Volta a Ilha é uma oportunidade única de conhecer a ilha de Boipeba, a pérola de Tinharé.

Praia da Boca da Barra em Boipeba

Praia da Boca da Barra em Boipeba

Outro tour imperdível em Morro de São Paulo é o que vai à Ponta do Curral, Coroa de Areia e praia da Gamboa. São algumas das paisagens mais desertas e belas de Morro de São Paulo, como a rústica Ponta do Curral, onde foi introduzido o gado bovino no Brasil e uma coroa de areia em pleno alto mar. E para finalizar a tranqüila praia da Gamboa com suas águas profundas e mansas. Perfeito para quem deseja conhecer outros lugares próximos a Morro de São Paulo sem perder muito tempo, pois o tour dura em média cinco horas.

Parede de argila Gamboa

Parede de argila Gamboa

A última dica de passeio em Morro de São Paulo é uma visita a praia de Garapuá, uma enseada de águas transparentes e calmas. Garapuá fica situada após a Quinta Praia de Morro de São Paulo e é praticamente deserta se não fossem algumas poucas barracas na beira da praia. Neste passeio, você desfrutará de algumas das mais belas praias do arquipélago. Um passeio para a praia de Garapuá significa uma chance para relaxar numa das paisagens mais bucólicas e belas de Tinharé.

A.P.A de Tinharé e Boipeba

A.P.A  de Tinharé e Boipeba – DECRETO 1.240  MUNICÍPIO DE CAIRU – BA

Para conter a devastação acelerada e controlar os seus impactos na natureza, o Governo da Bahia vem criando novas Áreas de Proteção Ambiental (APA’s), que são protegidas por lei. Atualmente, existem 32 APA’s na Bahia, locais que revelam diferentes ecossistemas, histórias e culturas dos seus habitantes.

As Áreas de Proteção Ambiental nos Estados do Brasil (APAs) são áreas geralmente extensas, com um considerado grau de ocupação humana, dotadas de atributos abióticos, bióticos, paisagístico, estéticos ou culturais especialmente importantes para a qualidade de vida e o bem-estar das populações humanas que habitam ou venham habitar a região e tem como objetivos básicos proteger e preservar a diversidade biológica, disciplinar o processo de ocupação e uso do solo e assegurar a sustentabilidade do uso dos recursos naturais disponíveis. (SNUC – Lei 9.985/2000).

Apa do arquipélago Tinharé Boipeba

Apa do arquipélago Tinharé Boipeba

1. Apresentação

A magnífica Área de Proteção Ambiental – A.P.A  das Ilhas de Tinharé e Boipeba, teve sua criação determinada com o Decreto Estadual n°. 1.240, de 05/06/1992, está ao litoral sul do Estado da Bahia entre as localidades da Ponta do Curral, litoral do Município de Valença e a Península de Maraú na região do Município de Camamu na Costa do Dendê.

A  APA está no Município de Cairu, cujo é o Arquipélago de Tinharé e conta de 26 ilhas, Tinharé, Boipeba e Cairu, esta ultima, sede do município e não está inclusa na APA (o que é uma grande perda para a região) e além destas há outra vinte e três ilhas de pequeno porte, dentre elas, às de “ aninhamentos de animais (aves, repteis, crustáceos e alevinos) denominadas de Ilha do Rato, da Aranha, São Gonçalo, do Papagaio, do Meio, das Três Matinhas, de Manguinhos, ambas na parte oposta ao Atlântico onde se encontra a maior parte do manguezal. Há ainda às ilhas calcarias/corais onde peixes e frutos do mar vão se aninhar, estão locadas na costa Atlântica das Ilhas de Boipeba e Tinharé, são as Ilhas do Caitá e a ex-Ilha da Saudade no Distrito de Morro de São Paulo que outrora não muito distante fora um pequeno bioma; hoje não existe mais devido a depredação.

A área total da APA dita de 43.300ha e a razão de sua criação foi a constatação da presença de ecossistemas de grande interesse ambiental, com um extenso manguezal de três espécies, belas praias desertas, além de um litoral recortado com morros, barras e recifes de corais; no interior de ambas Tinharé e Boipeba, há a presença de vegetação primária e secundária da Mata Atlântica, campinas, riachos e nascentes.

Um dos principais motivos que favoreceu a criação da APA de Tinharé e Boipeba foi o crescente do movimento turístico na região. Isto foi observado em 1985 e em 1990 já era bem visível o futuro da região do atual pólo turístico do Morro de São Paulo. Neste período que o Jovem Pedro Rocha, veranista deste paraíso e funcionário do Estado na área ambiental e como ambientalista que era, foi quem primeiro identificou a necessidade da APA e tomou as primeiras iniciativas. (Pedro Rocha faleceu em 1996, no Caribe, quando praticava mergulho contemplativo).

2. Características gerais.

Toda a região apresenta um riquíssimo sistema estuário, com extensos manguezais de grande potencial pesqueiro devido a sua diversidade de três espécies. Essa formação é comum para as regiões do Caribe e Pacífico, sendo o estudo agora desenvolvido nesta região a partir do Morro de São Paulo; é a primeira descrição de tal sistema para o Brasil. Associado à importantes tipos remanescentes da Mata atlântica, pequenos riachos e rios navegáveis, formando um belo complexo que abriga muitas espécies da fauna e  flora da região.

Locais como o pólo turístico do Morro de São Paulo, Vila de Gamboa do Morro e Vila de Garapuá na Ilha de Tinharé e na Ilha de Boipeba a Vila de Velha Boipeba, Povoado de Moreré e o Povoado de Cova da Onça, sofrem hoje com a grande demanda turística, por estarem em áreas de fácil acesso fluvial. Devido ao crescimento populacional probatório, essa fora a maior preocupação em corrigir os problemas como o saneamento e o ordenamento do solo, está ligado diretamente à elevada fragilidade ambiental do local. As paradisíacas praias e piscinas natura, o patrimônio histórico e paisagístico, são as grandes atrações turística da região.

3. Aspectos bióticos.

3.1 – A Flora

O manguezal ocupa uma vasta distribuição geográfica no local, apresentando plantas de portes arbustivos e arbóreos { mangues = vermelho ( tem a raiz  tipo escora em forma de dedos )  – branco ( a base da haste da  folha é vermelha , chamada  de Pecíolo ) e o preto (casca mais escura, folha verde claro e arredondada) ou Siriba / siriuba / siribinha. Um exemplo peculiar das espécies encontradas nesse tipo de ecossistema é o Algodão-do-mangue (Hibiscus pernambucensis). A extensa área de restinga em particular, apresenta espécies com grande capacidade de sobrevivência, pois o solo onde se encontram é muito pobre em nutriente. As vegetações de Áreas Úmidas, das Dunas, de Várzeas, Brejos e Mata Ciliar, também constituem o tipo florístico da região. Outro exemplo é a Mata Ombrófila Densa, que se mantém sempre verde e têm grande participação na umidade do ar de toda a região, diversas espécies como o Pau-d’arco (Tabebuia sp.), a Maçaranduba ( Manilkara amazônica ), o Olandir (Calophyllum brasiliense), a Sucupira (Bowdichia virgilioides)  e a Jataipeba ( Dialium guianense ) esta ultima bastante cobiçada na região; além de outras que inadequadamente apresenta valor econômico no local.

3.2 – A Fauna.

A avifauna, é dentre os indivíduos da macrofauna encontradas nos habitats observados, a mais representativa, pelo número de espécies e o número de indivíduos, inclusive a presença de espécies em vias de extinção, como é o caso do Curió (Oryzoborus angolensis) e o Cubango (Icteridae haemorrhous), pássaros de pequeno porte que são muito explorados pelo homem, por possuir canto especial e muito atraente aos ouvidos, além do falcão (Milvago chinachina), e ainda o jacaré de papo amarelo (Calmam latirostris). Fazem-se também presente muitas espécies de répteis, mamíferos e insetos, além de peixes, outros frutos do mar e de diversos tipos de invertebrados como os crustáceos dos mangues e de do mar, que ainda compões a economia local.

4. Comunidades.

A APA Ilhas de Tinharé/Boipeba compreende as duas maiores ilhas (Tinharé e Boipeba). Os distritos que compõe as ilhas são: Morro de São Paulo, Garapuá, Canavieiras, Galeão e Gamboa do Morro, ambos em Tinharé. Em Boipeba, Velha Boipeba, Moreré, São Sebastião (Cova da Onça), Monte Alegre.

A renda da população local é fundamentada no turismo e na pesca de peixes e camarão, além da mariscagem, da cultura do coco, da piaçava e do dendê. Algumas famílias ainda vivem da agricultura de subsistência.

5. Conflitos ambientais.

Um dos problemas mais sério enfrentado na APA é a falta de saneamento, com o crescimento do turismo vem aumentando a necessidade de grandes reformas. As conseqüências da falta de saneamento são o comprometimento dos recursos hídricos locais afetando o único lençol freático contido, assim como alterações em espécies de animais e plantas. Além de lançamento de esgotos domésticos, a alteração das margens dos rios e estuários, que prejudicam o ecossistema existente; isto devido ao excesso de embarcações tidas com rápidas que praticam o turismo fluvial. Vários desses problemas estão caracterizados como crime ambiental. Em Morro de São Paulo, o problema de Hidro-sanitário já fora sanado devido à implantação do sistema desenvolvido pela EMBASA em 1998.

6. Zoneamento.

A partir das características dos meios físicos, bióticos e antrópicos, o zoneamento foi dividido em quatro categorias distintas.

01) – A Categoria Preservação:  Engloba a Zona de Proteção Rigorosa – ZPR e ZPVS: Zona de Proteção da Vida Silvestre é um tipo de categoria onde são mínimas as interferências humanas.

02) – A Categoria Conservação:  Engloba a Zona de Manejo Especial: ZME, Zona de Orla Marítima: ZOM, Zona de Proteção Visual: ZPV, Zona de Proteção Visual Especial: ZPV (E), Zona de Ocupação Rarefeita: ZOR, Zona de Urbanização Restrita: ZUR, Zona Extrativa Vegetal: ZEV e Zona Extrativa Animal: ZEA, essas zonas de conservação apresentam alguma influência antrópica sendo que cada uma apresenta seus próprios usos e recomendações.

03) – A Categoria Uso:  Engloba a Zona Turística: ZT, a Zona Turística Especial: ZT(E), a Zona de Urbanização Controlada: ZUC, Zona de Expansão   ( I ): ZEP(I), Zona de Expansão (II): ZEP (II) e a Zona Agrícola: ZAG, essas são zonas destinadas ao desenvolvimento econômico do local, mas cada uma com o tipo de uso permitido.

04) – A Categoria Recuperação: Apresentando a Zona de Recuperação Ambiental: ZRA, destinada exclusivamente à recuperação de área degradada.

Nota: Para que estejam de acordo com a Lei, evitando crimes ambientais, é importante para o empreendedor, pesquisador ou entidades ligadas ao turismo, que desejam desenvolver trabalhos ou empreendimentos nesta APA,  estarem cientes da existência dessas normas.

RELAÇÃO DAS 32  APAs DO TERRITÓRIO BAIANO:

Bacia do Cobre/São Bartolomeu – Bacia do Rio de Janeiro – Baía de Camamu – Baía de Guaibim – Baía de Marimbus/Iraquara – Baía de Todos os Santos – Caminhos Ecológicos da Boa Esperança – Caraíva/Trancoso – Coroa Vermelha – Costa de Itacaré/Serra Grande – Dunas e Veredas do Baixo/Médio São Francisco – Gruta dos Brejões/Veredas do Romão Gramacho – lhas de Tinharé e Boipeba – Joanes/Ipitanga – Lago de Pedra do Cavalo – Lago do Sobradinho – Lagoa de Itaparica – Lagoa Encantada e Rio Almada – Lagoas de Guarajuba – Lagoas e Dunas do Abaeté – Litoral Norte – Mangue Seco – Plataforma – Continental do Litoral Norte – Ponta da Baleia/Abrolhos – Pratigi – Rio Capivara – Rio Preto – Santo Antônio – São Desidério – Serra Branca/Raso da Catarina – Serra do Barbado – Serra do Ouro

Fontes –  SEMARH / DUC e CRA (IMA)

16 – Adaptação do Texto – Alberto Santana – IBAMA

Tranquilidade, muita tranqüilidade em Morro de São Paulo

Imagine um lugar onde se vê águas calmas e transparentes, onde reina a tranqüilidade e a beira da praia se avista além da exuberante natureza, pescadores separando a pesca do dia. Agora, junte a este cenário paradisíaco, uma vegetação típica da Mata Atlântica bastante preservada e uma areia branquinha. Acrescente a tudo isto, uma pitada baiana. Este visual não é nenhuma cena de ficção. Existe sim, e está bem próximo a Morro de São Paulo. Trata-se da praia de Garapuá, onde a natureza e a paz reinam absolutas.

Garapuá está localizado após a Quinta Praia de Morro de São Paulo, também chamada de Praia do Encanto e para chegar a este verdadeiro cenário de filmes, pode-se ir com trator ou carro 4×4, que partem de uma estrada situada atrás da Segunda Praia em Morro de São Paulo e cujo tempo do percurso pode ser de 40 minutos até uma hora; com o passeio “Volta a Ilha” que faz uma parada nas piscinas naturais de Garapuá; com uma lancha (fretamento) ou ainda os mais aventureiros podem ir a Garapuá, caminhando. Neste caso recomenda-se a companhia de uma pessoa que conheça a região, pois o trajeto é longo são aproximadamente 12 quilômetros do centro de Morro de São Paulo até a praia de Garapuá e no caminho há trechos dentro da mata.

Em Garapuá o mar é sereno e uma leve brisa constante deixa a praia ainda mais bela e agradável. A maré baixa deixa à mostra uma larga faixa de areia. Na beira da praia existem poucas barracas e não há grandes estruturas. A simplicidade é a principal característica das barracas, mas nos cardápios estão todas as delícias típicas da Bahia como as famosas moquecas, variados pescados e várias porções de frutos do mar. Estas iguarias baianas acompanhadas de uma bebida bem gelada é uma das dicas para ser levada em conta em Garapuá. Outra dica é aproveitar toda a natureza que a praia oferece, caminhando na areia ou cavalgando. Se desejar passar além do dia em Garapuá, prepare-se para encontrar pousadas pequenas, sem muita estrutura.

O povoado é bastante simples, com pouca oferta hoteleira e tem apenas uma vila de pescadores com poucas casas e um pequeno comércio. É exatamente este o charme de Garapuá: o pacato vilarejo continua indiferente ao progresso do turismo presente em Morro de São Paulo. Para quem busca um pouco de sossego é uma excelente opção durante a estada em Morro de São Paulo. Faça um passeio ou fique um dia ou mais em Garapuá. Você irá se apaixonar e descobrir outros lugares lindos no arquipélago de Tinharé, além das praias de Morro de São Paulo. Afinal, a Bahia é assim: surpreende a cada canto de suas grandes enseadas.

Faltam dois dias para o início do Festival de Primavera de Morro de São Paulo

Festival de Primavera de Morro de São Paulo

Maria Gadú, Nando Reis e Vânia Abreu são algumas atrações que animarão o Festival de Primavera de Morro de São Paulo.
Começou a contagem regressiva para o 1º Festival de Primavera do Morro de São Paulo. Dois palcos vão animar as 5 noites de festa que acontece entre os dias 3 e 7 de setembro, com shows gratuitos, e vai contar com grandes nomes da Música Popular Brasileira.
Além de Vânia Abreu, Maria Gadú, Nando Reis, Leilah Moreno, On The Floor e Pablo Domiguez o Festival de Primavera do Morro de São Paulo terá uma programação alternativa, com a presença de artistas e grupos culturais locais. O objetivo do poder municipal é dar valor e visibilidade à rica produção artística regional.
Uma estrutura ficará montada na Vila, e lá, músicos da região vão mostrar o melhor da música popular brasileira. O palco principal em forma de arena, ficará armado na 2ª Praia possibilitando uma visão de 360° de todas as atrações. Ninguém vai perder um detalhe sequer.
A cada noite, as riquezas do Arquipélago de Tinharé serão homenageadas. Na primeira noite, “Cairú: 400 anos de história”, Vânia Abreu e Vivendo do Ócio vão intercalar a MPB romântica com um rock alternativo. Grupos folclóricos de Cairú se apresentam no palco da Vila.
No sábado (04/09), Maria Gadú e Pablo Dominguez sobem ao palco. Nesta noite, “As Maravilhas de Boipeba” serão o tema da vez. A voz suave da paulistana de 23 anos e o surf music do valenciano vão embalar as águas calmas do Morro. No palco da Vila, grupos folclóricos de Boipeba marcam presença.
A “Noite do Morro” foi reservada para o dia 05 de setembro (domingo). Nando Reis e Thathi dividem palco. Quem comanda a festa no espaço da Vila são os grupos Folclóricos de Morro de São Paulo.
Leilah Moreno e a Banda On The Floor vão prestigiar “As águas da Gamboa, Galeão e Garapuá”, no dia 06 de setembro. Essa noite vai misturar o black music da atriz, cantora e dançarina com a música eletrônica cantada do grupo baiano. No palco alternativo, Grupos Folclóricos de Gamboa, Galeão e Garapuá.
Para fechar com chave de ouro o feriado da Independência do Brasil, 7 de setembro, o Festival de Primavera vai homenagear a noite “Raízes”. Apenas grupos e artistas da região se apresentarão. Grupo Folclórico de São Sebastião, Fazu Kanu, Beto Amazonas, Morro do Samba e Flor do Reggae animarão o último dia de Festival de Primavera.
O Festival de Primavera do Morro de São Paulo é uma realização da Prefeitura de Cairú. O evento faz parte da programação oficial das festividades de aniversário do município, que completa 400 anos no dia 7 de outubro.

FESTIVAL DE PRIMAVERA DE MORRO DE SÃO PAULO – PROGRAMAÇÃO COMPLETA:

Dia 03 –SEXTA “Cairú: 400 anos de história”
19h – Grupos Folclóricos de Cairú
20h – Vânia Abreu
22h – Vivendo do Ócio

Dia 04 – SÁBADO “As Maravilhas de Boipeba”
19h – Grupos Folclóricos de Boipeba
20h – Maria Gadú
22h – Pablo Dominguez

Dia 05 – DOMINGO “Noite do Morro”
19h – Grupos Folclóricos de Morro de São Paulo
20h – Nando Reis
22h – Thathi

Dia 06 – SEGUNDA “As Águas de Gamboa, Galeão e Garapuá”
19h – Grupos folclóricos de Gamboa, Galeão e Garapuá
20h – Leilah Moreno
22h – On The Floor

Dia 07 – TERÇA “Noite Raízes”
17h – Grupo Folclórico de São Sebastião
17h – Fazu Kanu
18h30 – Beto Amazonas
20h – Morro no Samba
21h30 – Flor do Reggae

Como Conhecer o Arquipélago de Tinharé

Morro de São Paulo no Arquipélago Tinharé Boipeba

Chegando à Morro de São Paulo, no extremo Norte do Arquipélago de Tinharé, notamos as variadas opções de caminhos, praias e trilhas a serem exploradas. Logo pensamos que conhecendo a Primeira Praia, Segunda Praia, Terceira Praia, parte da Quarta Praia, o caminho até a Gamboa, passando pelas Falésias e a Vila de Morro de São Paulo,  já não tem mais o que se descobrir neste lugar.
Em Morro de São Paulo, principal pólo turístico do Arquipélago e terceiro na Bahia, poucos visitantes exploram as belezas naturais existentes por aqui.
A opção de após alguns dias nas redondezas da vila, sendo hospedado numa das Pousadas e Hotéis de Morro de São Paulo, pode ser a de diminuir o volume da mochila e partir em direção ao sul do Arquipélago. A caminhada, seguindo a Quarta Praia que tem seu final na Quinta Praia ou Praia do Encanto onde a trilha segue pela Mata Atlântica, com alguns Riachos e Manguezais que o separam de um imenso coqueiral, cujo esconde a belíssima praia de Garapuá.

A Praia de garapuá nas redondesas de Morro de São Paulo

Um povoado que conserva suas atividades voltada à pesca.
Equipado apenas com rede, sal, canivete ou faca alem de poucas roupas, Garapuá é um excelente lugar para esticar a rede no final do primeiro dia.
Desde Garapuá até o final da ilha, um pequeno trecho de manguezais com varias trilhas que dependem do uso em função da maré, acessos milenares usados pelos Índios e hoje por Marisqueiros, confundem a travessia para a Praia do Pontal, essa a maior do Arquipélago, com 12 km de extensão a Praia do Pontal é totalmente deserta com uma inclinação íngreme de areias grossas e soltas. O Rio do Inferno separa as ilhas de Tinharé e Boipeba, esta travessia é feita de barco.
A Vila de Velha Boipeba esta logo na chegada, depois da travessia, parada obrigatória para repor energias e mantimentos, também tem alguns coqueiros para prender a rede.
A caminhada em direção ao sul é sempre buscando o lado leste do Arquipélago onde estão as praias. A Ilha de Boipeba abriga inúmeras praias, muitas delas com sua natureza intacta e semi deserta.
Seguindo de Velha Boipeba, a Praia de Tassimirim faz a divisa com a Praia da Cueira, por um trecho de Mata Atlântica onde o ar se confunde à natureza com aroma de oxigênio puro.

Boipeba de Morro de São Paulo - Praia de Tassimirim

A Praia da Cueira que já foi eleita uma das mais belas do Brasil, tem como vizinha sendo separada por um morro, a Praia de Moreré. Esta praia paradisíaca é um lugar para parar e pensar, um lugar para amarrar a rede e relaxar na companhia da natureza.
Ponta dos Castelhanos não esta longe. Moreré tem mais ao sul, a Praia de Bainema, conhecida por sua extensão e por ser a última antes do imenso Manguezal até chegar ao fim do Arquipélago.

Imagem do mangue em Boipeba - Morro de São Paulo

A chegada em Ponta dos Castelhanos muda o sentido da caminhada. O retorno pode ser visto seguindo para Cova da Onça, a imensa praia de água cristalina e rasa indica o rumo ao norte. Seguindo pelo interior da ilha de Boipeba, as trilhas levam pela parte mais alta, onde as paisagens são inesquecíveis até chegar a Velha Boipeba.
Já na Ilha de Tinharé, a caminhada pode seguir pelo interior da Ilha, uma parte baixa e plana onde a vegetação predominante são as Bromélias que formam um vasto jardim chamado de Jardim das Bromélias.
Chegando ao Povoado do Zimbo, bem próximo a Vila de Morro de São Paulo, encontra-se novamente a Mata Atlântica que pode ser apreciada.
Seguindo encontramos as variadas trilhas, passando por vários riachos de águas claras e frias, que levam até o povoado do Galeão. O pôr do sol visto do alto do morro, onde esta a Igreja da Vila do Galeão, é uma paisagem espetacular. O continente separado por inúmeras ilhas e manguezais torna uma lembrança única, o horizonte se confunde com o céu em função da distância alcançada pela vasta elevação do morro onde esta localizada a Igreja.
Entre Galeão e Morro de São Paulo está a Gamboa, que é passagem obrigatória, mas ao invés de seguir a caminhada pela praia, passando pelas Falésias e a Praia do Porto de Cima, a trilha no alto do morro leva até a Fonte do Céu.

Caminha para fonte do ceu em Morro de São Paulo

Uma pequena cachoeira de águas frias e límpidas em meio à mata. É o lugar ideal para refrescar e descansar desta longa caminhada que pode demorar uma semana.
Ao longo desta jornada estão vários povoados onde é fácil encontrar restaurantes e locais para alojamento. No entanto para pessoas que apreciam viver realmente a natureza, a dica é ficar atento pois tanto nas praias ou trilhas é comum encontrar marisqueiros e pescadores que sempre podem oferecer os produtos frescos extraídos do mar como mariscos e peixes que são facilmente preparados para uma refeição.